5 de maio de 2019

Sobre o dia da Mãe



aqui falei sobre a minha viagem em direcção à maternidade. Já disse como foi atribulada e feliz no desfecho. Como dou graças por ter conseguido ser mãe de um menino que, aos meus olhos, é perfeito.
Sim, muitas vezes lamento que não tenha irmãos. Acredito ser o melhor que se pode dar a um filho, mas, esse lamento esvazia-se quando realizo a sorte que tenho, pois sei haver muitas mulheres que dariam o mundo pela experiência da maternidade. E é também disso que me lembro no dia da mãe, de todos os dias da mãe em que ansiava por sê-lo. De todas as mulheres que atravessam neste momento essa emoção. De todas as que, continuam a tentar, na esperança de que, em breve… Não é fácil este dia para as mulheres nesta situação.

30 de abril de 2019

Retratografia #4


Self-portrait,  é o mote deste mês no desafio de retratografia.
Não sou pessoa fácilmente fotografável. Digo-o desde que deixei a descontracção da infância. Digo-o ainda mais veemente, desde que comecei a perceber de que lado da máquina fotográfica me sinto mais à vontade. E digo-o com sinceridade. 
É verdade que já uma ou outra vez, resultado de momentos descontraídos, e/ou, de fotógrafos com talento, o resultado até foi agradável, no entanto, é para mim, estranho e desconfortável prestar-me à actividade de ser fotografada. 

Quando percebi que em Abril, o tema era precisamente o auto-retrato, vi que vinham por aí sarilhos... Confesso-vos, que o meu cérebro, gastou alguma energia a congeminar de que forma poderia dar a volta à situação. 
Um destes dias, encontrei a foto abaixo, e imediatamente percebi que tinha caminho fácil para escapar, sem fazer batota, a todo um processo que adivinhava um bocadinho calamitoso.


Podia ter deixado as coisas assim, e também estava bem. Podemos aceitar as nossas fragilidades e seguir em frente. Mas... senti-me um bocadinho fraude. Sei que ninguém mo diria. Sei que esta foto, cabe no tema e serviria o propósito, no entanto, no meu intimo, ouvia aquela vozinha que diz "maricas..., preguiçosa, nem te esforçaste". 

25 de abril de 2019

Revoluções

Tenho para mim, que as maiores revoluções, são as que se dão dentro de nós.
Raramente de um dia para o outro. Raramente por um motivo só. 
Tal como a borboleta surge de um processo de metamorfose, lento, calmo, e finalmente doloroso, as nossas revoluções acontecem assim, devagarinho, sem darmos por elas.
Olhando-as do presente para o passado, percebemos como aconteceram. Vemos o caminho por onde passou o rio que alisou as pedras e criou um leito definido. 
Por vezes, dizemos sem conhecer todos os factos, que foi por isto ou por aquilo que uma revolução se deu. E sim, é verdade, foi também por isto ou por aquilo. São fáceis de reconhecer os istos e aquilos, pois são catalisadores, são momentos chave carregados de uma enorme energia de transformação. Mas tal como um incêndio que precisa de uma "faísca" para começar, só arde se tiver oxigénio e combustível, assim é uma revolução. O tal isto e aquilo, a tal faisca só a desperta, ela acontece a partir daí, desse momento, porque existiu um processo de transformação. Porque estamos prontos para ela. 

15 de abril de 2019

Clube de leitura


Gosto de ler desde que comecei a saber juntar letras para formar palavras, frases, e por conseguinte histórias. 
Gosto muito de ler, e na minha infância e adolescência, desde que as histórias passaram a fazer parte da minha vida, esta estendeu-se por essa via, muito para além de uma pequena aldeia de trás os montes. Cresci, ganhei asas, e voei. 
Parte da segurança que me trouxe a bom porto deve-se a tudo o que aprendi, e antevi, em tantos livros  que foram (também) escola. 
Para além do meu gosto pela leitura, tenho também o gosto da partilha. Adoro falar dos meus livros favoritos, e de conhecer da boca de quem lê, a opinião de outros livros que por aí andam. Posto isso, ou criava um clube de leitura (andei a pensar nisso durante algum temo), ou me juntava a um. E como clubes de leitura nunca são demais, assim que a Joana tirou o dela da lista de intenções para o das acções, lhe chamou "um livro debaixo da asa", eu não hesitei um segundo para dizer: quero! 
Tem sido uma experiência bonita. Nesta partilha, mensal, com um tema sugerido pela mentora, têm surgido livros que coloquei na minha lista "a ler", e dos quais talvez não tivesse conhecimento doutra forma. 



31 de março de 2019

Retratografia #3

Special Effects é o tema de Março. Efeitos de luz, movimento, técnicos, pós produção... mais uma vez, não há limite ao que se pode fazer com um pouco de imaginação.

Na primeira fotografia o "efeito especial" está em, num primeiro olhar, confundir a realidade com a pintura e vice versa. Conseguido pelas cores e o ligeiro arrastamento provocado pelo movimento da criança.

A segunda a preto e branco, temos o reflexo como tema principal mas deixando parte do rosto reflectido num ângulo completamente diferente.

A terceira e a quarta apesar de semelhantes, tem uma energia diferente, eu ia colocar aqui só a terceira (que adoro) mas o meu filho, disse que a mais gira era a quarta, " a sandwich invisível", e não é que tem piada?

As ultimas três, mais óbvias, num jogo de luz e sombra. Deixei a ultima a preto e branco, mais uma vez a pedido do filhote, que disse, quando me viu a experimentar : "a preto e branco é mais fixe mãe!"
Fico cá a pensar, que se calhar, em vez de o usar como modelo, tenho que o deixar pegar na maquina fotográfica...