13 de maio de 2014

Hoje tive um dia difícil

Não interessa o motivo, ou os motivos, mas foi um daqueles dias em que parece que tudo nos cai em cima. Quando pensamos que finalmente vamos conseguir levantar a cabeça e respirar, mais e mais...
E o tempo não estica.
Já acordei cansada, dormi pouco. Estive a trabalhar até tarde. Quando a energia está em baixo, é mais difícil manter o ânimo.
A manhã passou demasiado depressa, sem avistar soluções. Depois de almoçar a correr, estacionei o carro e respirei fundo.  Decidi caminhar devagar até ao edifício onde trabalho, sentir o sol, pensar em coisas boas, para anular todo o stress que carregava comigo. Por um momento breve, senti que estava a dramatizar. Tudo se resolve.
Apanhei uma flor à beira do caminho para contrariar o cinzento da minha secretária. Nem a flor se deu bem por lá! Quando deixou de sentir os raios do sol, fechou, que não há lâmpada que se compare...
O dia continuou no mesmo ritmo, frenético. No final fui ao ginásio, estive quase para não ir, pois a minha vontade era chegar a casa, enfiar-me na cama e esquecer o que deixei pendente. Mas fui.
Foi a melhor decisão. A musica, o esforço físico, o relaxamento no fim, levantou de cima de mim quase todo o peso que carregava. Saí de lá cansada mas leve. Recuperei parte da minha energia.
Há dias assim, em que parecemos desenhos animados constantemente a ser atropelados na estrada, sem hipótese de fuga.
Espero que o sono seja verdadeiramente reparador. Amanha é outro dia.

Sem comentários: