28 de junho de 2014

Está na hora de...

Tenho um filho que adoro. 
Quem me conhece bem, sabe que me dói ele não ter irmãos. Tento compensar com amigos, aceito que esta é a nossa realidade, e dou graças diariamente pelo filho que tenho.
Quem mal me conhece… continua a opinar sobre a minha vida privada sem qualquer pejo. No emprego, na escola, na pastelaria da rua, no cabeleireiro… 
Ultimamente uma das frases (intrometidas), que quase me tira do sério, e que mais oiço é:
“Está na hora de lhe dar um irmão!”
Que dizer a isto?

Há dias em que não reajo, visualizo essa possibilidade com carinho, sinto "aquela dor no peito", sorrio e dou uma resposta vaga. Sei que algumas pessoas não querem magoar.

Outros dias… Só me apetece dar a pior resposta possível. Daquelas que chocam, que calam de vez. 
Há pessoas por aí, que mesmo quando demonstramos o nosso desconforto fugindo do assunto, escarafuncham nas nossas fragilidades arvorando-se em superiores donos da verdade.
Começo a ficar farta. 

Que sabem as pessoas de mim? NADA.
Sabem se poderia sustentar mais um? Sabem se a minha saúde o permite? Se me apetece ter mais filhos? Se tenho condições? O que têm a ver com isso? 

As pessoas que nos rodeiam nada sabem de nós, mas no entanto, quase todos se acham no direito de opinar sobre a nossa vida pessoal, e sobre o que é melhor para os nossos filhos. 
Já não há paciência! 



Sem comentários: