25 de agosto de 2014

Falar ou escrever

Sou um pouco reservada, na vida passo mais tempo na plateia que no palco. Sempre achei que tinha mais a aprender que a ensinar. Quando o papel de observador não me agrada, ou sinto que tenho algo a dizer, salto para a ribalta, mas por falta de prática nem sempre me sinto confortável com a troca.
Como consequência, deixo-me ficar cada vez mais vezes neste papel confortável mas redutor.
Por sentir que ultimamente ando mais calada e introspectiva, fiz uma espécie de auto-análise para entender o motivo. 
Cheguei á conclusão que por ser sossegada, tenho tendência para me sentir mais à vontade com pessoas extrovertidas, e os meus amigos são quase todos assim. Exuberantes, faladores. Rodei-me de pessoas que são o oposto de mim, como é natural. 
Consequentemente, numa conversa, fico a maior parte do tempo calada a ouvir. O meu tempo de antena é menor, e não faz mal, na maior parte das vezes prefiro assim.
Acontece, que pontualmente até quero participar mais na conversa em curso, ou porque tenho mais a dizer, ou porque quero falar sobre outros temas. Nem sempre tenho essa oportunidade.
Opto então, por não "impingir" as minhas opiniões e depois o momento certo... passa.
Este cantinho tem servido também para me dar o espaço que precisava para escrever, sem interrupções. Umas vezes em forma de desabafo outras como um exercício de auto conhecimento.
Desta forma verbalizo o que me apetece sem me sentir chata ou intrusa e sem ninguém me cortar a palavra. Sei que não resolve, mas ajuda.


Sem comentários: