19 de setembro de 2014

Primeiro por ti

Face a uma grande tragédia, dizer a alguém que tem que ser forte pelos outros parece-me antinatural.
Cada um que tenha que ser forte, que o seja primeiro por si. Também para outros, mas por si.
Faço a analogia com a mascara de oxigénio no avião, em caso de emergência.
Primeiro colocamos a dita em nós, só assim poderemos ajudar quem está do nosso lado.
Pode parecer egoísmo, mas a auto-preservação faz parte das leis primordiais da natureza.
Além disso, quando só o fazemos pelos outros, mais tarde pode surgir o ressentimento, e a tentação de cobrança.
Se precisas de ser forte por alguém, sê forte primeiro para ti, por ti. Só assim essa força terá base, substancia e alimento para passar a outros.
Que ninguém se convença que a fraqueza é uma falha, (tal como as lágrimas), é simplesmente um sinal da nossa humanidade. Temos direito a ela. Precisamos dela, (como de lágrimas em determinados momentos).
A maturidade vai-nos ensinando a geri-la, mas ela está lá sempre, e momentos de fraqueza surgem, por vezes quando menos esperamos, como medida da nossa sensibilidade.


Sem comentários: