21 de setembro de 2014

Urban Trail de Lisboa

E assim foi o meu Urban Trail de Lisboa.
Muita animação na partida.  Musica, dança, boa disposição.
O calor de uma noite de Setembro muito para além do calor humano.
Alfama fadista, gaiteira. Embriagada no seu fado. Em pleno festival Alfama-te, "um palco em cada esquina".
Ruas estreitas, algumas quase privadas, quase o quintal dos moradores, por onde passámos como que a tocar a sua intimidade.
Escadas (muitas escadas) a subir e a descer, moradores à janela a incentivar, turistas curiosos.
Grupos que se juntam e se perdem num mar de gente.
A vista deslumbrante do castelo sobre a cidade e o rio. Sempre  Lisboa e o Tejo, sempre o par, contraponto e continuação.
















No final da noite a tradicional bifana, numa esplanada ao lado da estação de comboios mais bonita do mundo, o nosso Rossio. Como acompanhamento, uma conversa boa e nostálgica, a reviver a Lisboa de outros tempos, mais simples, mais romântica, à luz da distancia e através de recordações gravadas na descontracção dos nossos vinte anos.

Mais que uma caminhada entre amigos, uma viagem ao passado através de uma pausa no presente, na tentativa (vã) de contemplar o futuro.


Sem comentários: