11 de outubro de 2014

Cinderela ou gata borralheira

Admiro as mulheres que estão sempre compostas. Melhor dizendo, sempre giras. Bem maquilhadas, bem penteadas e com ar de quem vai a uma festa ou à entrevista da sua vida.
Conheço algumas assim, sempre impecáveis. Nem ao fim de semana se permitem ao desleixo. Pijama em casa, só para dormir. Sejam férias, ou fim de semana o ritual não muda. Arranjadas sempre como se fossem à missa, ao teatro, ou para um encontro especial. Não há cá pijamas largos, roupões cor de rato ou t-shirts velhas.
Eu confesso, sou o oposto. Mal chego a casa, se sei que não volto a sair e não espero visitas, vou logo vestir o pijama e calçar uns chinelos.
Ao fim de semana a palavra de ordem é conforto. Calças de ganga ou equivalente, ténis ou sandálias, conforme a estação do ano. A cara sempre lavada. E isto quando decido sair de casa. Porque se ficar o dia todo por casa, sou bem capaz de nem o pijama tirar... Mas porque estou eu com estas considerações?
Porque um amigo comentou comigo, a propósito deste hábito que algumas de nós têm de viver em casa de pijama, que só nos pomos bonitas para os colegas de trabalho. E na realidade, apesar de ter dito "que parvoíce", fiquei a pensar no comentário, e acho que ele até tem alguma razão.
Apesar de achar que este "desleixo" acontece, porque se atingiu um grande nível de confiança e à vontade com o companheiro ou marido, a verdade é que ás vezes somos capazes de estar a exagerar.
Na prática muitas de nós, (excepção feita a dias especiais), concordam que os saltos altos, a maquilhagem, as roupas mais giras, são para usar 5 dias por semana das 9 ás 18. Consequentemente, quem nos vê no nosso melhor acabam por ser os nossos colegas. Bem calhando, este até é mais um dos motivos, que contribui para que a maioria dos casos extra-conjugais se dê no local de trabalho. Será?

Sem comentários: