8 de outubro de 2014

Pausa

Por vezes, para conseguir avançar, é preciso parar.
Respirar fundo. Perguntar onde queremos ir. O que é realmente importante.
Olhar em volta, mais que olhar, ver.
E se desconfiarmos por um momento que seja, que os nossos olhos nos enganam. Fechá-los. Sentir apenas. Ouvir o nosso coração bater. Sossegar a nossa respiração e deixar que a calma se instale.

Por vezes, para conseguir andar em frente é preciso dar um passo atrás. Ou vários. Pois as linhas rectas são muito bonitas, mas raras, que a vida é cheia de curvas e contra curvas. E raramente neste labirinto onde nos movemos, conseguimos adivinhar as direcções sem sentido. Principalmente se não vemos os sinais com a pressa de seguir em frente.

Por vezes andar muito depressa, é andar mais devagar. É fazer o caminho errado duas vezes.
A ir. E a voltar.



Sem comentários: