8 de novembro de 2014

Hoje foi um dia mesmo bom

Hoje foi um dia bom.
Eu e o meu filhote ficámos sozinhos em casa. Tratei de despachar as arrumações e as limpezas porque esperávamos que a qualquer momento chegassem o meu irmão e a namorada. Acontece que eles acordaram tarde e ligaram-me a dizer que a preguiça tinha atacado em grande. Ou seja, (deduzi eu), o que lhes apetecia mesmo era ficar em casa enroscados a namorar. Tudo bem, sou a favor do amor. Fica para outro dia.

Choveu o dia todo, o frio convidava a chá, uma fatia de bolo, e um bom filme ou livro.
O meu filho açambarcou a televisão e eu decidi ler. E foi bom. Sem horas, nem mais obrigações ou satisfações a dar. 
Tivemos tempo para tudo. Conversar, brincar, lanchar a tal fatia de bolo e chá, ou leite com chocolate no caso do meu filhote.
Não cedi à tentação de cozinhar qualquer coisa rápida para nós, e fiz do jantar para dois um repasto, pato com batata e abóbora assados no forno. Comi devagar na companhia do meu filho e de um belo copo de vinho tinto. 
Ele não gosta de adormecer sem o pai, por isso esse foi o único desafio do dia. A hora de dormir. Convence-lo que está na hora. Que quando o pai vier já é muito noite, e ele não pode esperar.
Inventar uma história que não é assim, nunca é. Cantar a musica. Sempre a mesma desde que nasceu. A do cavalinho mãe...

Hoje foi um dia mesmo bom.
Ás vezes tenho medo da solidão. De ficar sozinha e não gostar. Mas dias assim mostram-me que gosto. De vez em quando gosto. Gosto da minha companhia. De fazer o que quero, quando quero, ou não fazer nada. ficar a sós com os meus pensamentos, os meus livros, e eu. Interrompida apenas pelo meu filho, e pelas suas necessidades, tão simples como uma resposta, um olhar, uma brincadeira a dois.
A solidão é tão relativa. Não tem nada a ver com quantas pessoas estão à nossa volta. Podemos estar sós no meio da multidão. Tem muito mais a ver com comprimento de onda, e quantas pessoas á nossa volta partilham do mesmo que nós.
Hoje não me senti nada só. E se por momentos até me apeteceu sair de casa, foi só porque achei que seria aborrecido para o meu filhote passar o dia só comigo.
Hoje não conheci sítios novos, nem pessoas novas, que é algo de que gosto muito. Hoje confirmei o que já deveria ter como certo há muito tempo. Gosto da minha companhia. 

Hoje foi de facto, um dia mesmo muito bom.




Sem comentários: