13 de janeiro de 2015

Um gesto vale mais que mil palavras

Na vida já todos ouvimos histórias que nos deixaram embasbacados.
Histórias de gestos grandiosos e comoventes, ou de momentos heróicos. Nem todos podemos dizer que os praticámos ou presenciámos, porque esta manta de retalhos que é a nossa vida, não é só enriquecida pela grandeza, ela é tecida principalmente nos pequenos gestos do dia a dia, aos quais poucas vezes damos a importância merecida, mas que nos aquecem por dentro, nos surpreendem e nos comovem. Senão vejamos:

1. Eu e uma amiga fomos ás compras a um centro comercial cujo nome não interessa para a história.
Gostei de umas meias que ela comprou numa loja. Só havia uma caixa. 
Fiquei com pena, mas disse-lhe, "não faz mal, pode ser que encontre noutro sítio." e não pensei mais nisso.
Noutra loja, perguntei por um cachecol azul que tinha visto antes dos saldos, já não havia.

2. Dias mais tarde, a minha amiga foi a outro centro comercial espreitar os saldos e encontrou as meias que eu tinha gostado, já só havia um par. Por só haver um, não teve dúvidas e comprou.
Minutos mais tarde, passou numa loja da mesma cadeia onde eu tinha perguntado pelo cachecol azul, ela gostou de um também azul e comprou, como só havia 3 e não tinha a certeza se era o que eu gostara, (porque eu não lho tinha mostrado), ligou-me para tentar entender, pela descrição, se era o mesmo. Não atendi o telefone. Na dúvida não comprou. 
Meia hora mais tarde liguei de volta. E era, era o mesmo. Ela voltou à loja mas já não havia nenhum.
Tudo bem. "São coisas que acontecem, paciência..." pensei eu. E agradeci pelas meias.

3. Hoje, mostrou-me o cachecol dela, confirmei, era mesmo igual àquele.
Ela que é rapariga persistente, fez o que teria feito por algo que ela tivesse gostado, voltou à carga. 
Ligou para todas as lojas em Lisboa e arredores da mesma cadeia, e uma vez que sabia a referência, questionou até descobrir uma que ainda tinha o dito cachecol. A dificuldade a seguir foi, (uma vez que estamos em época de saldos), convencer a pessoa a guardar a peça pretendida até eu a poder lá ir buscar. Deve ter sido tão "melga" que conseguiu.
Quando me contou, eu fiquei tão pasmada que quase nem reagi. Mas fiquei a pensar nisto...

Pode parecer insignificante, já que estou a falar de um simples cachecol. mas ela fez por mim o que eu provavelmente não teria feito por mim própria. Não se trata do resultado final, mas do gesto. Que vale mais que mil palavras. 


Sem comentários: