17 de fevereiro de 2015

Still Alice



Um filme sobre Alzheimer mas também sobre Amor.
Não vou dizer que é triste (porque é mais que isso isso). Nem que devem levar lenços, mas recomendo. 
Também não trago novidade, quando afirmo que a Julianne Moore foi fenomenal. Porque ela é.

Mas digo que é revelador. Que o vou recordar. 
Que abriu gavetas fechadas e me trouxe memórias da minha adolescência que julgava esquecidas. Que reforçou a admiração pela minha mãe, e acendeu em mim respostas onde havia dúvidas. Aquela dedicação já a havia testemunhado há muitos anos atrás, sem nunca a ter compreendido. Chamava-lhe "ingenuidade" e "sacrifício". 
Era Amor. 



Imagem retirada da net.



4 comentários:

Joana disse...

Quero muito muito ver esse filme, é dos poucos que me faltam que estão nomeados para os óscares.

Mas só de ver o trailer fiquei com o coração apertado..já sei que vou sentir tudo avassaladoramente...

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Vai ver, não sendo o melhor filme que já vi, é um filme comovente e esclarecedor.

Cláudia M disse...

Tenho que ir ver este filme, mas acho que vou ficar de coração bem apertado...

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Tem o dom de nos fazer pensar e sentir.