16 de março de 2015

Escrever Fotografar Sonhar

Se há um punhado de anos me perguntassem se sabia o que era um blogue, provavelmente diria que sim, pois o conceito não me era estranho, mas na realidade não tinha noção, pois nunca tinha lido nenhum.
Esta ignorância acabou no dia em que a minha amiga Marta me disse que tinha um blogue, há mais ou menos três anos.
Eu já nem me lembro o que lhe disse, mas sei que só passado uns tempos fui ver do que se tratava. Achei giro. Comecei a ler pontualmente por curiosidade e para saber dela, porque com o nascimento do meu filhote nos víamos menos vezes, e gostei
Nessa altura, só lia o blogue dela,( e raramente), porque o meu computador era velho, lento e obrigava-me a ficar isolada na outra ponta da casa. 

Tudo mudou quando veio cá para casa um pequeno tablet. Uma geringonça pequenina e prática que coexistia pacificamente com a televisão e o sofá. Comecei a "navegar", e nesse mar fora encontrei outros blogues muito bonitos. Blogues que me cativaram de tal forma que ansiava por um novo post. Chamava-lhe o meu momento Zen. Podia, à distancia de um click viajar para outros mundos, ler outros pontos de vista, sentir o pulsar de outras vidas. 

Logo a seguir à descoberta da blogosfera, retomei a uma das minhas paixões do tempo da Faculdade, a fotografia. 
A fase das milhentas fotos de bebé, recordou-me como gostava disto, de escolher um ângulo, um pormenor ou uma paisagem e fotografar. E foi o que fiz, deixei de ser a mãe babada que fotografa o seu filho, e alarguei os motivos de interesse.
Comecei a fotografar com mais frequência e a seguir blogues com fotografias lindíssimas, que me deixavam literalmente de queixo caído. 

No inicio desta paixão, ocorreu-me que gostaria de ter um blogue assim, com fotos bonitas para partilhar. 
Mas a par do "gostava de" havia também o "acho que as minhas fotos não são assim tão giras...".
E punha a ideia de lado.
E a ideia voltava. E eu namorava-a em segredo.  
Entretanto várias coisas aconteceram, que me foram guiando nesta direcção, (um dia conto), uma delas (a menos interessante), foi a substituição do computador velhinho por um portátil pequenino e prático. Começaram a acabar-se as desculpas.     

Num impulso de fim de tarde, daqueles que devia ter mais vezes, fiz nascer este blogue. Trazia-o na cabeça já em modo recorrente. E não tinha dúvidas de que era algo que queria mesmo fazer, mas não via a luz do dia porque faltava sempre qualquer coisa. Ou era o nome, ou o aspecto, ou a direcção, ou o tema, ou o objectivo, ou ... 
Faltava tudo, menos o medo, que esse tinha de sobra. Medo de me expor, medo de não ter interesse nenhum, medo de me fartar rapidamente... 

Num domingo solarengo de Março precisamente há um ano, não sei que conjugação cósmica se deu, decidi sem pensar mais. Arregacei as mangas, transformei a ideia em acção e aconteceu. larguei o meu grão de areia neste imenso mar que é a blogosfera. 
Mesmo sem ter decidido sobre quase nada, escrevi o meu primeiro post , e o nome apareceu inspirado num livro que adoro. 

Escrever, que faço cada vez mais, mesmo que muitos dos textos nunca vejam a luz do dia.
Fotografar, que me encanta, que necessita de mais disponibilidade e aprendizagem.
Sonhar, o intangível, o que fica entre o céu e a terra.

E de há um ano a esta parte tem sido assim, desta vida agitada tão comum a todos, "roubo" tempo para fazer o que me faz feliz.
E o facto de alguém passar por aqui, faz com que o blogue valha a pena. Por isso, e para todos os que tem vindo, obrigado.

Hoje faz um ano que este sonho se concretizou, venha o próximo. 


3 comentários:

Cláudia M disse...

Muitos Parabéns (atrasados)! Espero que continue por cá, por muito tempo. Eu gosto muito deste cantinho tão bonito, pelas fotografias, pela escrita, pelas partilhas de estados de alma... Posso dizer, que foi um bom impulso esse, de um final de tarde de Março há um ano atrás. :)

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Obrigado Cláudia. É muito bom partilhar. mas mais que isso, é muito reconfortante ler comentários tão simpáticos.

Cláudia M disse...

:) Beijinho