17 de março de 2015

Porque sim

Hoje perguntei a mim própria várias vezes, porque tenho mantido o blogue anónimo. 
É verdade que em alguns dos meus momentos de reflexão, escrevo sobre fragilidades que por norma queremos esconder. 
Mas em dias menos bons poder fazer essa purga é terapêutico. 
É também verdade, que nos dias que correm a nossas privacidade já é tão diminuta, que escancarar a porta parece absurdo. 
Mas um blogue, é só uma pequena janela. São fragmentos de estados de alma. E um fragmento não define de maneira nenhuma o todo. 
Podia mostrar só momentos de luz. Momentos felizes e inspiradores. Escrever só sobre o meu lado mais forte, mas não seria verdadeiro. Que a luz não existe sozinha. A luz afasta as sombras mas não as elimina. 
O anonimato, para quem é mais discreto ou tímido, pode ser libertador. 
Penso que usei este anonimato para para testar a minha vontade de escrever, mesmo que ninguém lesse.  
E passado um ano continuo a ter vontade de cá vir. Para partilhar fotografias ou simplesmente registar um estado de espírito. A frequência varia, mas quando venho é porque quero. Porque me sinto feliz, ou triste, ou irritada, ou orgulhosa, ou...



1 comentário:

Cláudia M disse...

Há imagens que falam por si, realmente...

Revi-me neste texto e também eu optei pelo anonimato, pelas mesmas razões. Poderiamos mostrar a cara ou dizermos quem somos e publicar apenas coisas boas e felizes, mas não seria real, a vida não é apenas assim... e desta forma é mais libertador de facto, o poder publicar '' tudo '' sem receios e ao mesmo tempo sentimo-nos mais protegidas e não é por isso, que o blogue deixa de espelhar o que somos, ou perde por ser anónimo.