31 de maio de 2015

Maioridade

Neste ultimo dia de Maio a minha sobrinha mais velha fez 18 anos.
E eu ali, ao lado dela numa conversa intima sobre sonhos, desejos e planos para o futuro, por momentos regressei aos meus 18. À minha visão ingénua e pura do mundo. Aos meus próprios anseios. Consegui visualizar momentos exactos de decisões, que mudaram completamente o meu rumo. Ela muito mais que eu nessa altura, sabe o que quer. Vi nela uma maturidade serena, que me fez acreditar que a aventura que agora inicia, tem tudo para correr bem.
Por isso, em jeito de conselho, disse-lhe o que de mais importante a vida me vem ensinando, e que gostaria de ter percebido quando fiz os meus 18 anos. Devemos analisar tudo serenamente com a cabeça, mas em ultima análise escolher com o coração. Porque é isso que nos faz felizes. Viver de consciência tranquila, acordar com o entusiasmo de se fazer o que se gosta, e estar rodeados das nossas pessoas. As que trazem ao de cima o melhor de nós.  



Sem comentários: