15 de agosto de 2015

A rapariga no comboio

Um livro diferente. Diferente na sua construção, e na perspectiva.
Confesso que comecei cheia de entusiasmo, por me ter sido muito recomendado, mas passadas as primeiras páginas ele foi esmorecendo. Os primeiros capítulos com preâmbulos vários, custaram-me a ultrapassar. Não se trata de leitura ligeira.
Garanto que vale a pena a persistência pois passados esses primeiros capítulos, comecei a ficar presa. De presa, a completamente agarrada. Quando não o estava a ler estava mentalmente a tecer teorias sobre qual seria o desfecho. É um livro que nos leva a questionar a verdadeira natureza das pessoas acima de todas as aparências. 
Ideias que me ficaram:
Não olhar para uma primeira impressão, e a da-la como certa, apesar de saber que é importante. 
Nada como olharmos para dentro de nós para melhor entendermos os outros.
Nunca dizer que o que se sente não faz sentido. Faz sempre.
É difícil quebrar ciclos viciosos, mas é possível.

Se gostam de mistérios, e de sentir a vida do ponto de vista das mulheres, irão com certeza gostar deste livro.


livro


Classificação 7/10

Sem comentários: