25 de setembro de 2015

Assar lentamente

Quem me conhece bem, sabe que gosto muito de comer. Se pudesse passaria a vida a degustar comida de restaurante em restaurante. Pelos motivo óbvios, não dá. Em alternativa cozinho. 
Quando estou verdadeiramente inspirada, faço experiências. Tento recriar sabores ou pratos que gosto, ou que acho que vou gostar. Na maioria das vezes corre bem. 
Mas nisto da culinária, o meu maior defeito é ser impaciente, não tenho paciência para os pormenores de fazer "bonitinho". 
Sei que os olhos também comem, e gosto de ver um prato bonito, mas eu, concentro-me no sabor descurando um pouco a aparência. Quando escolho uma receita, das variantes que vou encontrando, escolho-a pelos ingredientes e pela simplicidade de confecção. Gosto de cozinhar sem stress, e sem medidas milimétricas. Sou incapaz de me cingir ás instruções e por isso para cada receita, crio sempre a minha versão. 


No que toca a simplicidade e descontracção, para mim, os assados são as receitas que melhor cumprem esses requisitos.
Há lá coisa mais simples e descontraída que um assado no forno?
Peixe, carne ou acompanhamentos, gosto de colocar tudo numa travessa, e deixar que a magia aconteça.
Pode parecer obsessão, mas quase tudo (com o tempero certo), me sabe bem assado. Por isso, quando tenho o forno ligado, e ainda sobra espaço, vou espreitar ao frigorífico para ver o que tenho por lá, que dê para assar, e guardar para um qualquer acompanhamento no dia seguinte. 
Não sou "esquisita", da minha gaveta "dos verdes", quase tudo é candidato: curgete, cenoura, abóbora, cebola, tomate, cogumelos, pimentos, fruta... tudo isto me sabe maravilhosamente, quando levemente caramelizado no forno…  
Desta vez, foram ameixas Rainha Cláudia. 
São as minhas preferidas, porque são sempre boas, mas por azar, comprei umas que não sabiam a nada. Não estive de meias medidas, descarocei-as, coloquei uns pozinhos de açúcar amarelo por cima, e forno! Já as provei, ficaram uma delícia.
Se não me ocorrer mais nada com que as combinar, como-as com iogurte, ou mesmo assim, sem mais nada, à laia de sobremesa. 

Digam lá se não parecem apetitosas?



13 comentários:

Cláudia M disse...

Estão mesmo com um aspecto delicioso ;)

Eu sou tal e qual como tu N, adoro comida de forno! O assar lentamente apura sabores e é tão simples de fazer. Aqui na Suíça, não tenho microondas e habituei-me e não sinto qualquer falta deste, agora o forno, já é outra conversa, não pára ! Ora é um bolinho, ora são os assados (e um salmão no forno com batatinhas assadas, gostas? Eu adoro.:) ou até mesmo pão, que agora aprendi a fazer, caseiro e tão simples de preparar, uma maravilha. Tal como tu, sou uma fã de forno ehehehhe

(um dia destes, partilho a receita do pãozinho, lá no meu estaminé;)

Beijinhos

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Pão, foi algo que ainda não me atrevi a fazer... Partilha a receita, pode ser que me atreva!

Cláudia M disse...

Sim, pãozinho! E com nozes N... fica uma maravilha :D

Combinado, um dia destes, deixo por lá a receita :)

Beijinho

Marta Moura disse...

Também não me importava nada de estar sempre a saltitar de restaurante em restaurante. O corpinho é que ia sofrer! :)

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Essa também é uma grande verdade, uma refeição em casa é (quase) sempre mais saudável.

Cláudia M disse...

N, como os meus próximos posts, não vão ser de receitas, deixo-te aqui o link de onde eu tirei a minha receita de pãozinho para que possas experimentar :)

http://chillicomtodos.com/como-fazer-um-pao-caseiro-perfeito-e-quase-sem-trabalho/

No entanto pergunto, porque vai fazer falta, para fazer o pão, tens algum tacho de barro ou de ferro fundido com tampa, que possa ir ao forno ? Vai ser muito útil para cozeres a massa.

A receita base (e todos os passos) está neste link, mas depois podes experimentar com outras farinhas e adicionar frutos secos, como nozes ou outros que fica muito bom.

Experimenta ;) Se precisares de ajuda ou de alguma dica, diz :)

Beijinho

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Obrigada!! De barro não, mas tenho um pirex com tampa serve?

Cláudia M disse...

Olá ;) Serve, desde que aguente os 200 Cº (normalmente aguentam até esta temperatura). É grande o pirex ? Beijinho

Cláudia M disse...

A receita do blogue é de 500g de farinha, dá um pão grande. Eu tanto faço essa, como por vezes faço menos quantidade, depende, então converti a receita para 300gramas.

Deixo-te aqui os ingredientes para 300, dá um pão mais pequeno, mas jeitoso ehehehe

Ingredientes:
300g de farinha de trigo sem fermento
240g de água morna
meia colher de chá de sal para 250g, pôr mais um pouco.
7,2g de fermento de padeiro fresco

Assim, se o teu pirex não for muito grande, podes fazer esta quantidade. :)


Foi assim que o meu primeiro pãozinho ficou, este é de 500 gramas :

http://2.bp.blogspot.com/-mA1fYP2W2YE/VhWyf09oBcI/AAAAAAAAF94/fB59K0MAXl0/s1600/WP_20150729_002%2B%25281%2529.jpg

Depois se fizeres, diz como correu ;)

Beijinhos

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Fui ver a foto, tem um óptimo aspecto! Já só me falta o fermento de padeiro. Quando fizer ponho aqui o resultado. Obrigado :))

Cláudia M disse...

Espero que gostes ;) Sim, depois partilha o resultado :)

Quanto ao pirex, na altura que comentei, até me esqueci que apesar do meu tacho/tabuleiro fundo ser de ferro fundido, a tampa é de pirex e tem aguentado perfeitamente. Tens que ter é cuidado, depois ao tirá-la, para não te queimares (porque vai 30 mts com tampa e depois + 10/15 mts sem a tampa, para formar uma boa côdea, estaladiça!).

De nada N :))

Beijinhos

Cláudia M disse...

Não leves a mal a mensagem, espero que esteja tudo bem...

Beijinhos Natália

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Vai ficar tudo bem.
bjs.