12 de outubro de 2015

As primeiras manhãs de chuva

Há, e tal... o Outono é tão fofinho, e tem cores tão giras, e apetece é chá e bolinhos caseiros ... Tudo verdade. 
Mas nem tudo são flores, ou melhor, folhas. As primeiras manhãs de chuva, deixam-me sempre em ponto de rebuçado, mesmo antes de sair de casa. Na minha cabeça, a mudança de estação ainda é uma coisa meio romântica enquanto a chuva não aparece. Quando acordo, olho pela janela e vejo que está a chover, desoriento-me. Fico por uns largos minutos sem saber o que vestir, e o que calçar. Da minha mente já se varreram todas as combinações que funcionavam no ano anterior. 
Fico desaustinada. Ainda não está frio suficiente para botas, mas a sandálias já estão completamente fora de questão.
No roupeiro, tudo parece sem graça, ou demasiado fresco. Olho para a gaveta das malhas e sei que ainda é cedo.
Namoro os vestidos, mas não me consigo (ainda) enfiar nuns collants, e para mim, está fora de questão sair de botas, vestido esvoaçante, e perna ao léu. Sim, sim, nunca serei uma miúda fashion... 

Então e os sapatos? Perguntam-me em modo recorrente.  
Não uso sapatos. Quase todos me fazem bolhas no calcanhar, e eu não sou pessoa para sofrer por vaidade.  
Nisto não há volta a dar, para mim, no que toca aos pés, o ano divide-se entre botas e sandálias. Quando muito, posso usar uns sapatos "abotinados" ou uns botins abertos, mas o sapatinho clássico, impossível.

Olho desolada para o roupeiro aberto. Parece que tudo pertence a outra estação do ano.
Volto-me para as calças um pouco desanimada porque sei que já não posso usar as de tecidos finos e soltos, tão confortáveis e que adoro. Ir de ganga para o trabalho, é pedir chatice. Sobram poucas alternativas...
Tenho que escolher algo que combine com botins ou botas de camurça, o calçado que costumo usar nesta transição, por ser mais fresco. Só que a camurça, não gosta muito de chuva, por isso convém sair mais cedo, para conseguir estacionar mais perto.
Olho à minha volta, a cama já está cheia de roupa rejeitada, prova de que já gastei os 10 minutos que tinha de folga. Estou garantidamente atrasada, duvido que depois desta azáfama, encontre lugares à porta.

Sim, as primeiras manhãs de chuva são o verdadeiro caos em cuecas.
São elas que me convencem que o meu roupeiro é um deserto, apesar de estar demasiado cheio. Que me gritam ao ouvido, ser urgente ir ás compras. Que me levam a tomar más decisões, a perder tempo. Porque em stress, acabo por comprar peças sem pés nem cabeça, que devolverei mais tarde. Ou pior, que ficam encalhadas no roupeiro, só a ocupar espaço.
Nem tudo são maravilhas nestes dias de Outono…




Sem comentários: