4 de abril de 2016

Palácio Nacional de Mafra

Quem leu o Memorial do Convento do Saramago como eu, perante a visão do Palácio Nacional de Mafra, para além do natural assombro que um monumento assim nos inspira, reconhece nele o fruto do trabalho de milhares de portugueses e assume uma certa reverencia pelas vidas que lhe foram dedicadas.
Juntamente com amigos, fomos mostrá-lo aos miúdos no Domingo. Sem guia, passearam livremente pelos seus corredores amplos, mostrando-se impressionados com muitos dos pormenores da decoração.
A cama do rei (não sei porquê) foi um dos objectos que deliciou o meu filho, de tal forma que me veio buscar pela mão para ma mostrar. Ficámos todos de impressionados com a imensa biblioteca, e na sala de caça, mais uma vez, as crianças surpreenderam-se com com a sua peculiar decoração à base de "troféus", suscitando  perguntas nem sempre fáceis de responder.
Recantos, salas faustosas, pormenores do dia a dia remeteram-nos para uma realidade muito diferente da nossa, que apesar de passada não é assim tão longínqua.

A vista do interior da Basílica através de uma das janelas do piso superior, deslumbrou adultos e crianças. Decorria um concerto e já não apetecia deixar o lugar privilegiado. Reparei no amor que os funcionários lhe dedicam, através da simpatia com que respondiam a questões, ou nos sorrisos que saíam naturalmente ao observar a curiosidade das crianças.
Desta vez a visita foi só para apreciar o monumento, que a paciência das crianças é limitada. Fica a promessa de voltar, uma vez que se inicia a temporada de concertos, a que, confesso, estou desejosa de assistir. 

Para que ainda não conhece, fica aqui um vislumbre. E já agora há um ano atrás noutro contexto. 


 

 
Cama do rei


 
 
Biblioteca

Basílica
      


3 comentários:

A.João disse...

Só conheço o exterior do Palácio, mas agora fiquei com bastante curiosidade de visitar o interior. Pelas fotos parece ser bastante interessante.

Cláudia M disse...

Estão tão bonitas Natália! Lembrei-me ao ver as tuas fotos, que tenho também algumas do mesmo monumento, esquecidas no computador... a ver se as partilho, num destes dias ;)


Um beijinho grande

Escrever Fotografar Sonhar disse...

O interior do palácio foi decorado cuidadosamente sem excessos, o que nos permite ter uma ideia de como seria na época, sem nos sentirmos "presos num museu atafulhado". Os jardins também merecem uma visita, mas para isso um dia de sol é sempre melhor.
Fica a dica para gulosos: pasteis de nata fresca na pastelaria Fradinho, entre outras iguarias, exceção feita aos bombons caseiros ( não são assim tão bons...).

Partilhem as fotos! bjs