23 de maio de 2016

Pelo menos três coisas boas...

... para cada coisa má. 
Dizem alguns psicólogos, que é o mínimo necessário para manter um quociente de positividade saudável na nossa vida.

Uma semana horrível ().
Duas amigas para jantar na sexta, que me fizeram muito bem (boa).
Um presente (desafio) de outra amiga que me deixou muito feliz (boa).
Amigos que mudaram os seus planos (quase) à ultima hora, para passarem o dia comigo, no meu aniversário (boa).
Balança equilibrada.

Eu explico melhor:
Tive uma semana indescritível.
Daquelas semanas em que olhamos para a nossa agenda e só nos dá vontade de rir, para não chorar.
Compromissos sobrepostos. Tarefas atrasadas devido a interrupções não planeadas. Milhentas coisas para fazer, tudo urgente, de preferência para ontem, tudo impossível de delegar.
Via a data do meu aniversário a aproximar-se e sinceramente, andava tão cansada, que o meu maior desejo era passá-lo a dormir. Não planeei nada. Não queria planear nada, não me sentia nem com força, nem com entusiasmo. Com este estado de espírito suspeitava que fizesse o que fizesse, nada iria correr bem.

Quando cheguei ao final do dia na sexta, a  sensação era de ter passado cinco dias, a tentar enfiar de “calçadeira” o Rossio na Betesga. Um cansaço físico e mental indescritível. A minha vontade secreta, era chegar a casa, enfiar-me na cama, e dormir dois dias seguidos. Impossível. Nessa noite duas amigas de sempre, e que não via há algum tempo, iriam jantar lá em casa. Adoro tê-las por perto, pelo que decidi fazer mais um sprint. E fiz muito bem, porque foi muito bom. É sempre. Pusemos a conversa em dia, e por umas horas, o cansaço como que desapareceu milagrosamente.

Nessa mesma noite, outra amiga, liga-me a perguntar se no dia seguinte, não queria fazer um workshop, uma vez que ela não poderia ir. Ela sabia que eu estava interessada, e que só não me tinha inscrito, porque estava certa de não conseguir arranjar tempo.  
Durante uns segundos pensei, “Não. Preciso mesmo de descansar e já tenho imenso que fazer nesse dia. Há limites, não posso fazer tudo. Fica para outra altura.”
Mas o meu outro lado (um lado mais esgrouviado e aventureiro), que aparece ás vezes não sei de onde, e luta com unhas e dentes contra a sensatez que me define, dizia-me, “vai, tu consegues. Dormes menos, mas tu consegues. Só tens que simplificar o resto. Se não fores agora quando é que pensas que vais?”
E claro que disse que sim, que ia. Sinceramente foi a melhor decisão. Que isto de estar sempre à espera das condições ideais para fazer o que queremos, tem muito que se lhe diga. Depois conto, porque foi uma tarde muito bem passada.

Voltando ás coisas boas, decidi em cima da hora, fazer um picnic no meu aniversário. Por ser Domingo e estar bom tempo, fazia todo o sentido e os miúdos iam adorar. Apesar de estafada e sem grande espírito de festejos, optei por resistir à inercia
Claro que isto de marcações em cima da hora tanto pode correr bem como dar para o torto. Naturalmente, cada um tem a sua vida, e num fim de semana de sol, todos tem planos. Mas correu bem. Tenho sorte de ter amigos flexíveis, que perante o meu convite mudaram os planos, e escolheram passar o dia comigo. Por isso lhes agradeço. Foi Um dia muito bem passado.
Em retrospectiva, e contra as minhas previsões, acabou por ser um óptimo fim de semana. Cansativo, mas um cansaço bom, porque quando estamos a fazer o que nos dá prazer, ou rodeados de amigos, o cansaço como que se evapora.

Moral da história:
Mais vale ser optimista.
Com um pouco de esforço conseguimos fazer (quase) tudo.
O melhor é simplificar, e deixar a vida acontecer.

PS: Quando acabei de escrever isto, fui espreitar o que escrevi no meu aniversário o ano passado. Tive que me rir, pois conclui que gosto mesmo de (me) dar lições de moral...

Nectar, Joana Vasconcelos 2006




2 comentários:

Cláudia M disse...

Que bom, Natália! E são mesmo estes momentos que ajudam a equilibrar a balança, e a tornar os nossos dias e a vida, mais bonitos. Vale a pena, por vezes, contrariar o cansaço ;)

Parabéns (atrasados) :) um beijinho grande para ti.

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Obrigada! bjs