25 de maio de 2016

Psicologia Positiva


uns dias atrás, a propósito de coisas boas que acontecem quando menos esperamos, mencionei um workshop, e não adiantei mais nada. Prometi que partilharia a experiência depois, e por isso cá vai. O tema era Psicologia Positiva, aconteceu na Red Apple e foi conduzido pela Psicóloga Catarina Rivero. 
  
Fui num misto de expectativa, receio, e entusiasmo juvenil. 
Tenho que confessar que um psicólogo "à séria", daqueles que entre várias coisas possíveis também fazem psicoterapia, sempre me intimidaram um bocado, porque tenho a sensação que analisam cada pessoa que conhecem. Claro que sei que isto não faz sentido nenhum, mas mesmo assim é o que sinto. Além disso, workshops com exercícios de grupo, deixam-me de pé atrás. Não gosto de me expor, e sei que por vezes para vencer a minha timidez natural, digo umas quantas parvoíces, com resultados por vezes constrangedores. Daí o receio e a expectativa
Claro que fui, porque o entusiasmo e a curiosidade venceram tudo o resto. 

E porquê o entusiasmo e a curiosidade? 
De há uns tempos a esta parte, o meu interesse pela Psicologia Positiva tem vindo a aumentar e estava na hora de lhe dar alguma atenção. Não sei se é devido ao facto de me considerar uma “realista” que gostaria de ser mais optimista, ou se realizei que ultimamente encontro a palavra Positiva, associada a quase tudo. Senão vejamos, Conjugalidade Positiva, Parentalidade Positiva, Coaching Positivo…
Tinha algumas ideias sobre o que seria a Psicologia Positiva, mas nada de muito claro ou prático. Se por um lado parece tratar-se de uma moda recente, por outro faz muito sentido na minha cabeça, e não me parece assim tão novo, pois já a minha avó me dizia ” mais vale ter fé e pensar positivo”.
Queria muito ir e desmistificar a coisa, e ao mesmo tempo tinha receio que fosse mais um conjunto de teorias bonitas mas sem aplicabilidade na vida real.
Valeu a pena. Na Red Apple a energia é muito boa, a Catarina é uma pessoa com uma energia fantástica. Muito simpática, muito prática, que consegue transmitir de forma natural a mensagem que se propõe. Numa tarde não se fica a saber tudo sobre a Psicologia Positiva, mas ficamos a saber que com meia dúzia de truques conseguimos aplica-la no nosso dia a dia, tanto na vida profissional como pessoal. Percebi (finalmente) que não se trata de ignorar os problemas, nem de fingir que eles não existem, mas de arranjar estratégias para os ultrapassar com tudo de bom que temos. 
A melhor maneira de lidar com o que de menos bom a vida nos apresenta, passa por encontrar tempo para as pequenas coisas que nos dão prazer, sendo que serão diferentes para cada um de nós. O importante é criar esses momentos para ganhar força, para mudar de perspectiva.      
Como é obvio, todos temos bons e maus momentos, ninguém está sempre feliz, mas podemos ser mais felizes, se praticarmos com alguma regularidade o que nos faz sentir bem. Seja caminhar ao ar livre, fazer yoga, cozinhar, ler um livro, estar com amigos, dançar, fotografar, escrever, correr, pintar… O importante é encontrar os nossos prazeres, os que nos servem como uma luva, e arranjar tempo para eles. Essa será a forma de recarregar baterias para enfrentar o que for preciso. 
Muito mais haveria a dizer, mas a ideia principal é mesmo esta. Manter o foco nas coisas boas, valorizar o que temos de melhor, afastarmos-nos do que nos faz mal, aceitar as nossas fraquezas e as dos outros, pois somos todos seres maravilhosamente imperfeitos.
Quero só acabar com uma frase da Catarina que me ficou gravada, e à qual pretendo recorrer as vezes que forem precisas:

“ É o fim do mundo ou um problema? Se é um problema, então tem uma solução.”   



PS: Obrigada Marta (pelo desafio), Catarina e Red Apple (pelo acolhimento caloroso e profissionalismo).

2 comentários:

Cláudia M disse...

Deve ter sido muito giro e útil. E a frase diz muito, ajuda a darmos a devida importância às coisas e aos problemas do dia a dia.

Um beijinho, Natália.

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Foi tão giro, que me parece que não será o ultimo que farei por lá...
bjs