30 de junho de 2016

A seguir...

Hoje é o primeiro dia uma nova possibilidade para este blogue.
Depois de muita (mais ou menos) polémica gerada pelo facto de não conseguir colocar em sítio nenhum a aplicação de seguidores do blogger, e de já ter desistido de o tentar, finalmente alguém resolveu  o mistério!
Não tinham dado por isso? Achavam que era mau feitio da minha parte? Isto do mau feitio até podia ser verdade... Mas não, era mesmo nabice.
E não, não foi um guru da programação blogosférica que resolveu este quebra cabeças, foi somente a Cláudia (uma querida que percebe muito mais disto que eu), que dando conta desta impossibilidade me avisou, e mais que isso, se ofereceu para ajudar.  E quem é a Cláudia?  podem perguntar. A Cláudia é uma das minhas primeiras leitoras que comentou algo, e  uma das poucas pessoas que não desistiu deste blogue, mesmo numa fase em que até eu quase  desisti. É também autora de um blogue que me cativou pela doçura e pelas fotografias muito bonitas, (vão lá espreitar sff).

29 de junho de 2016

Chegou o Sol (à séria) e eu quero...


... passear no parque com o meu filho, depois da escola.
Há lá coisa melhor num dia de sol, que sair do trabalho a horas decentes, ir buscar a cria à escola, e em vez de voltar logo para casa, passar uma hora com ele no parque
Sol na cara, cabelo ao vento, natureza, descomprimir, e a felicidade do miúdo. 
Quero muito conseguir organizar-me para fazer isto, nem que seja uma ou duas vezes por semana. 
Quebrar a rotina de uma semana de trabalho, mudar o ritmo do dia uma vez por outra, é em teoria, das coisas mais simples e óbvias para descomprimir, e na prática tão difícil de conseguir. Porque será?

27 de junho de 2016

Bloggers Camp ou "é melhor tarde que nunca"

Por razões pessoais só agora consegui voltar a dar atenção ao blogue, mas mais vale tarde que nunca. 
E o que trago eu de novo quase um mês depois? Muito pouco.
Já quase tudo foi dito (vejam aqui), e neste momento pouco poderei acrescentar. No entanto não poderia deixar de dizer do coração que foi muito bom rever as pessoas que já no ano passado me tinham cativado de alguma forma. Foi mesmo muito bom! Principalmente depois de um ano a ler-lhe os Blogues, que mesmo sabendo que é apenas um pedacinho de cada um, sinceramente, depois de termos conhecido a pessoa por trás do blogue, esse pedacinho passa a ser mais do que parece.  
Eventos como este, para além do reencontro, trazem novas pessoas, e é quase impossível que num grupo tão variado não surja alguém com algo em comum connosco e com uma energia que nos cative. Foi o que aconteceu.
Mas vamos aos detalhes: 

9 de junho de 2016

Ciclos de vida

Sabemos desde muito cedo que a morte faz parte da vida. Sabemos cada vez mais conscientemente à medida que a maturidade nos chega, à medida que os familiares mais idosos cumprem o ciclo que nos está gravado no ADN onde, mesmo não sabendo como, está gravada uma data de validade.  Sabemos isto, mas ainda assim quando nos toca de perto é sempre um choque. Seja porque foi um acidente infeliz, ou porque a idade não fazia prever, ou mesmo porque na nossa cabeça não faz sentido.
Queremos que as nossas pessoas permaneçam sempre perto de nós. Queremos viver para sempre. Levamos a vida como se fossemos eternos, mesmo sabendo que é um perfeito disparate. E desta forma desperdiçamos o nosso bem mais precioso, o tempo. O único bem que não podemos comprar, nem trocar nem mesmo roubar.

4 de junho de 2016

Bloggers Camp outra vez!

Pois, não resisti. 
Apesar deste blogue ser do mais amador que há, não resisti a juntar-me de novo à festa.
No ano passado só soube do encontro por acaso, através da Rafaela cujo blogue seguia, e de quem sou uma grande admiradora. Não conhecia mais ninguém (uma vergonha!) Mas fui porque ela iria ser uma das oradoras e eu estava mortinha para a conhecer. Ainda assim, fui um bocado a medo, com receio de ficar deslocada pois sentia-me, a maior “naba” da blogosfera. 
Conheci a Rafaela, (ela é ainda mais querida do que eu imaginava), e outras miúdas do mais divertido que há, cujos blogues agora sigo. Para além de toda a diversão, ainda aprendi algumas coisas bastante úteis, nos vários workshops e palestras que foram acontecendo, e que contribuíram para reduzir um pouco a minha “nabice”.