24 de julho de 2016

Adiar até ao infinito

Há dias dei-me conta, que o pior de se ser um procrastinador, não é adiar as coisas que temos mesmo de fazer, e sofrer as consequênciasIsso é obviamente mau, mas tendo um prazo a cumprir, mesmo arrastando o inicio da coisa, sabemos quando tem que estar pronto, e mais cedo ou mais tarde metemos mãos à obra. Porque quando nos chega o stress do final do prazo, abdicamos do lazer, do sono, e de tudo o que for preciso para o cumprir. O pânico obriga-nos a agir. 
Com algumas pessoas isso até pode ser o agente motivador, para que a coisa ocorra sem distracções. Regra geral acarreta um grande desgaste, mas melhor ou pior, a coisa cumpre-se.

O mais grave de sofrer de procrastinação aguda, é que para além de protelar o que tem data marcada, o procrastinador protela tudo na vida. O que tem prazo e o que não tem. 
Ou seja, adiar algo com um prazo definido, obriga a um grande esforço na recta final, tem custos mas a coisa dá-se. 
Agora, adiar projectos sem data marcada, como os projectos pessoais, os sonhos, e as decisões importantes da vida, significa que nunca se sentirá essa urgência de fim de prazo, que obriga a tomar medidas drásticas para que se cumpram.
Significa adiar indefinidamente a própria vida. O que, quer queiramos assumi-lo ou não, também tem um limite, um prazo de validade, apesar de não sabermos qual.
Bem contados, não são assim tantos os meses ou anos que nos restam, e isso, se partirmos do principio que teremos uma vida relativamente longa (algo que não podemos garantir).
Não sentir esta urgência, faz com que se ande ao sabor do deixa andar, sem nunca iniciar nada daquilo que nos propusemos fazer um diaNão temos como o saber, mas esse dia pode até já ter passado. 
Não podemos estar à espera das condições ideais para decidir a vida, nesta equação, haverá sempre incógnitas por resolver. 

Quem hesita fica em ultimo, ou não chega de todo à meta a que se propôs.



6 comentários:

Cláudia M disse...

Concordo tanto, Natália... E sinto precisamente que estou a adiar a vida, para um tempo que pode nem existir... Dá que pensar realmente.

Um beijinho

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Este post foi uma espécie de puxão de orelhas a mim própria, pois adio demasiado, sempre à procura do momento certo. Ao escrever forço-me a olhar o "bicho" de frente. Não resolve mas ajuda. bjs

Catarina Gralha disse...

Por isso é que gosto de colocar uma data prevista nos meus projectos :) Mesmo que sejam a longo prazo. De vez em quando vou vendo a minha listinha de coisas que quero fazer na vida, e vejo se há algo que posso fazer já para começar a pôr esses projectos em andamento. Acho que com um bocadinho de organização, conseguimos fazer tudo o que queremos!

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Organização e disciplina. Sou organizada, mas disciplina tenho pouca...

Maria Rita disse...

Este texto devia estar à minha frente todos os dias, tipo post it, quando o meu pai ficou doente e com pouco tempo de vida, pensei nisso em não adiar a vida, mas passados 3 meses continuo a fazer tudo igual.

beijinho

Escrever Fotografar Sonhar disse...

Pois, a verdade é que nesta lufa lufa diária, rapidamente somos engolidos pela vertigem dos dias e vamos deixando para o fundo das nossas prioridades coisas que nos são importantes, mas nunca prioritárias. bjs