17 de setembro de 2016

Eu mereço? Sim.


Já vos falei aqui o quanto quero tornar também um pouco minha, a filosofia de vida baseada na psicologia positiva.
Já vos confessei que sou filha de pai optimista e mãe pessimista, que sempre me achei uma realista, porque acreditava que algures no meio  estaria a virtude, porque para mim nenhum dos dois tinha razão.
Ainda acredito que ser realista é bom, mas algumas experiências recentes, mostraram-me que (ás vezes) ser só realista não chega. Afasta o intangível, tornando-o fruto da imaginação, e pode acabar por nos tirar a capacidade de acreditar no que não se pode provar, pondo em risco a capacidade de sonhar.
Voltando a este conceito do optimismo, quando esta característica não nos é intrínseca, custa a interiorizar. Não acontece com um estalar de dedos, só porque (ou quando) precisamos. Requer trabalho, disciplina e vontade de lá chegar.

Posso ler muito sobre o tema, procurar inspiração à minha volta, mas não chega (a mim não me chegou). A partir do momento que percebo que ainda não é suficiente, é hora de aceitar as minhas limitações e procurar outras ferramentas. Foi o que fiz (e fiz muito bem).
Inscrevi-me no workshop Eu mereço! ministrado por uma das pessoas mais optimistas que conheço, a querida Sofia. Já me tinha cruzado com ela noutros contextos, por isso estava certa que iria valer (mesmo muito) a pena. 
Ela tem o precioso dom de descomplicar e uma capacidade incrível de transmitir o essencial. A par do sorriso fácil, e do abraço forte, tem também uma energia solar que nos contagia a todos. 
Leiam, inspirem-se nas suas palavras, e digam se não faz todo o sentido:

A vida é muito curta para não fazer o que temos vontade. É muito valiosa para não deixar entrar só o que nos faz bem. É muito apressada para não nos obrigarmos a parar para agradecer tudo o que de bom temos. É demasiado promissora para ter medo de arriscar, para ter vergonha de assumir as nossas decisões mesmo quando estão erradas, para ter dúvidas em aprender com os nossos erros e para não puxar da coragem e seguir em frente, a acreditar que ser feliz não é ter uma vida perfeita, não é fazer tudo certo, não é ter sempre tudo o que queremos. A única forma de ser feliz é estar bem com a vida. E estar bem com a vida é estares bem contigo mesma. 



Sem comentários: